Série - A Escravidão do Arbítrio - Martinho Lutero

Série - A Escravidão do Arbítrio - Martinho Lutero (01)

Série - A Escravidão do Arbítrio - Martinho Lutero (02)

Série - A Escravidão do Arbítrio - Martinho Lutero (03)

Série - A Escravidão do Arbítrio - Martinho Lutero (04)

Série - A Escravidão do Arbítrio - Martinho Lutero (05)

Série - A Escravidão do Arbítrio - Martinho Lutero (06)

Série - A Escravidão do Arbítrio - Martinho Lutero (07)

Martinho Lutero escreveu "A Escravidão da Vontade" como reação aos ensinamentos de Desidério Erasmo. Nascido em Rotterdam, na Holanda entre 1466 e 1469, Erasmo foi monge agostiniano durante sete anos, antes de viajar para a Inglaterra, onde foi motivado a aprofundar seu conhecimento do grego, chegando a produzir um texto crítico do Novo Testamento Grego (1516). Erasmo continuava na Igreja de Roma, apesar de inicialmente ser simpático a Reforma, e, como era um erudito, cedeu à pressão de sua igreja para defender o ensino do "livre-arbítrio". Desafiando a solicitação de Lutero para que não fizesse tal coisa, Erasmo publicou sua "Discussão Sobre o Livre-Arbítrio", em 1524, tendo escrito a Henrique VIII nestes termos: "Os dados foram lançados. O livreto sobre o 'livre-arbítrio' acaba de ver a luz do dia''. O livro agradou ao Papa e ao Sacro Imperador Romano, e foi elogiado por Henrique VIII. Este fato levou Lutero a declarar que Erasmo era um adversário da fé evangélica. Deus controlou soberanamente a intensa luta entre esses dois homens, para vantagem de seu reino. O conflito produziu uma grandiosa declaração da doutrina evangélica que tem enriquecido a Igreja de Cristo desde então, a saber, o livro de Lutero, "A Escravidão da Vontade".

FONTE: http://www.josemarbessa.com/