A Presença Suprema de Jesus - Steven J. lawson

A Presença Suprema de Jesus - Steven J. lawson
O primeiro fato a chamar a atenção de João é a posição de Jesus. Ele está em pé no meio de suas igrejas. Está ocupando a suprema preeminência entre as igrejas, movendo-se livremente entre elas.

"E virei para ver quem. falava comigo. E, virando-me, vi sete castiçais de ouro; e no meio dos sete castiçais um semelhante ao Filho do Homem (Ap 1.12,13a)."

Ao ouvir a voz como trombeta, João virou-se e viu sete castiçais de ouro. Nos tempos antigos, os castiçais eram colocados no canto do aposento com uma pequena lamparina sobre si. O propósito do castiçal era manter a lâmpada suspensa no lugar mais proeminente do aposento. O castiçal não era a luz; era o suporte desta. Os sete castiçais são as sete igrejas (Ap 1.20). Somos o suporte da luz de Cristo neste mundo que jaz em trevas. Esta é a missão da igreja.

São sete os castiçais. Este número representa totalidade; representa as igrejas, não somente da Ásia Menor, mas as de todos os tempos em todos os lugares. O que Jesus aqui declara, servirá a todas as igrejas e crentes de todos os tempos.

Os castiçais são feitos de ouro, o metal mais precioso e caro. O ouro representa o grande valor da Igreja. Seu valor é determinado por aquilo que alguém esteja disposto a pagar. Nosso valor é inestimável. Jesus derramou seu preciosíssimo sangue para resgatar a Igreja. Um preço superior ao do ouro e da prata (1 Pe 1.18,19). Somos preciosos para Ele!

No meio dos castiçais, João vê a figura como de um homem. Não um homem qualquer, mas o Filho do Homem. Este é um título messiânico profundamente enraizado no Antigo Testamento, pois fala daquEle que há de vir, ungido pelo Espírito, para inaugurar o reinado de Deus na terra.

O profeta Daniel viu o Filho do Homem vindo para governar o mundo com soberana autoridade: “Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem... E foi-lhe dado o domínio e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem: o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino o único que não será destruído” (Dn 7.13,14).

O Filho do Homem é Jesus Cristo, o Filho de Deus. Ele é tão perfeitamente Deus como fora perfeitamente homem. É o verdadeiro homem e verdadeiro Deus.

Jesus é o Senhor de todo o Universo. Ele possui autoridade absoluta sobre todo o mundo. Sem exceções. É uma verdade essencial. Jesus é o soberano de cada congregação. A cabeça de cada igreja-corpo. E a base de cada assembléia local. Tudo precisa ser trazido diante de si.

Finalmente, a Igreja NÃO pode ser regida por qualquer homem ou liderança meramente humana, nem por membros privilegiados, ou quartéis-generais denominacionais. Jesus anda sozinho no meio dos castiçais. Apenas Ele rege sua Igreja. Quantos têm consciência de seu governo? Quantas reuniões e conselhos estão agindo de acordo com esta consciência? Quantos cultos de adoração são realizados segundo a sua vontade?

Jesus ainda está no centro de sua Igreja. Ele é o eixo; toda igreja precisa passar por Ele. Sua supremacia é absoluta e central. Esta verdade tem de governar nossos pensamentos e palavras em todos os momentos que nos reunimos seja para adoração, seja para deliberar alguma coisa.

________________________________________
Trecho do livro "Alerta Fina", por Steven J. lawson

Publicado por : Reforma Radical ~ Aproveite para ler muitos outros textos.

Artigo: A Presença Suprema de Jesus - Steven J. lawson . Publicado por: Reforma Radical dia: 03 janeiro 2015 . Esperemo que este artigo tenha edificado sua vida e que você volte muitas outras vezes. Aproveite para comentar sobre o texto. 0 Comentário na postagem: A Presença Suprema de Jesus - Steven J. lawson
 

0 comentários:

Postar um comentário