Mas, o Que é a Fé Reformada? - Herman Hanko

Herman Hanko
Como a fé reformada é a verdade a respeito de Deus, ela ensina - assim como Calvino - que Deus é o único Deus, absolutamente soberano em todas as Suas obras e caminhos. Ele faz tudo de acordo com Sua boa vontade e realiza todo o Seu soberano propósito. A fé reformada ensina que Deus é o Criador do céu e da terra. Ele sustenta todas as coisas pela Palavra de Seu poder e rege todas as criaturas pelo Seu soberano poder. Logo, todas as criaturas somente efetuam a Sua vontade. Esta não é apenas uma verdade para as estrelas que Ele move em seus cursos no firmamento. Não é apenas uma verdade para o besouro em seu caminho pela calçada. Ela é verdade também no coração dos reis. "Pois o coração do rei", Salomão diz, "é como um rio controlado pelo Senhor; Ele o dirige para onde quer" - Pv 21v1.

A fé reformada crê em um Deus soberano. A fé reformada crê, como Isaías proclama, que até mesmo a Síria - a potência mundial da época - era uma serra e um machado na mão do Senhor, para serrar e talhar conforme Ele desejava (v. Is 10v15). A fé reformada ensina que embora nosso Senhor Jesus Cristo foi entregue por Pilatos, Herodes e pelas mãos ímpias dos judeus, mesmo assim foi de acordo com o determinado conselho e presciência de Deus (v. At 2v23). A fé reformada crê, como o profeta Amós reconheceu, que se existe mal na cidade, o Senhor o fez (v. Am 3v6). Esta é a fé reformada. O Senhor é soberano. O Senhor realiza toda a Sua boa vontade. O Senhor faz o que Lhe apraz em cima nos céus e em baixo na terra. O Senhor põe reis em seus tronos e os tira segundo a Sua vontade.

A fé reformada exige a resposta para esta questão confrontadora: É nossa doutrina essa que contempla a soberania do Senhor dos céus e da terra? Esta é, afinal, a questão que enfrentamos. Por acaso, nós desejamos, adoramos, servimos e colocamos nossa confiança na soberania de Deus? Ou é satisfatório para nós termos um ídolo impotente diante da soberana vontade do homem? Nós estamos servindo algo que é incapaz de salvar aqueles a quem ele deseja trazer para o céu: Um Deus que implora, um Cristo que implora enquanto o homem é soberano para fazer o que lhe apraz? Este tipo de Deus eu não preciso e não quero. Eu preciso de um Deus que pode salvar um desamparado, depravado e pecador corrupto. Se eu não tiver este tipo de Deus, não há esperança alguma.

A fé reformada acredita - e Calvino ensinava - que Deus é soberano sobre todo o trabalho da salvação, do começo ao fim. O homem não contribui em nada. A fé reformada crê - e Calvino ensinava - que desde a eternidade, antes da fundação do mundo e antes dos fundamentos da criação terem sido estabelecidos, Deus escolheu para Si mesmo - sem qualquer consideração aos trabalhos ou méritos humanos - um povo que Ele deu à Cristo (v. Ef 1v4). Estes foram destinados para serem d'Ele e foram destinados a viver com Ele em eterna glória no mundo vindouro.

Deus soberanamente determinou aqueles que seriam os réprobos (v. Rm 9v22). Ele determinou como manifestação de Sua justiça que os réprobos revelariam esta justiça quanto aos seus pecados eternamente no inferno.

Deus, como soberano Senhor, deu Seu filho, não para morrer por todos os homens, mas para morrer pelas Suas ovelhas (v. Mt 1v21). Ele fez expiação por aqueles que foram dados à Ele pelo Pai (v. Jo 6v37). Assim, Ele por Sua obediência perfeita na cruz, conquistou para Seus eleitos - que são preciosos aos Seus olhos - a plenitude da salvação eterna.

A fé reformada ensina que o Espírito de Cristo - que é o Senhor exaltado à direita de Deus - é irresistível em Seu poder salvífico. Este Espírito passa por toda a extensão da vasta criação. Ele conhece quais são os eleitos por quem Cristo morreu, e por quem Ele derramou Seu sangue. Ele entra em seus corações, subjuga sua resistência, demole as paredes de sua rebelião e vence seu amargo ódio e inimizade contra Deus. Ele saqueia as cidadelas da sua incredulidade. Movendo-se em seus corações, Ele faz de pecadores, santos. De blasfemos, Ele cria aqueles cujas bocas exaltarão a Deus. Através de um poder irresistível e poderoso Ele os transforma e liberta da escravidão do pecado.

A fé reformada crê e ensina - assim como Calvino ensinava - que o homem é totalmente depravado (v. Rm 3). Ele é tão depravado que não é somente incapaz de fazer nenhum bem, mas também, nem se quer deseja o bem. Ele é incapaz de querer o bem. Ele é incapaz buscar o bem. Ele é incapaz de procurar por isto. Ele não tem nenhum desejo por isto. Tudo o que ele tem é ódio e amargura, um ódio eterno e implacável por tudo o que é bom e tudo o que vem de Deus. Sua salvação depende em sua totalidade do trabalho soberano e irresistível do Espírito.

A fé reformada ensina - e Calvino ensinava - que "uma vez filho de Deus, sempre filho de Deus" (v. Fp 1v6). Assim como o próprio Senhor disse em João 10 verso 28: "Ninguém as poderá arrancar da minha mão". Podemos até cair profundamente no pecado, desviar-nos para muito longe do caminho dos mandamentos de Deus, porém, ainda assim seremos mantidos seguros pela poderosa mão de nosso Salvador - que nos preserva e nos mantém. Ele irá mais uma vez, mesmo que seja através do castigo, restaurar-nos em arrependimento e confissão. Então, cairemos de joelhos e clamaremos por perdão, enquanto o Espírito nos guiará à cruz. Em seguida, mais uma vez, nos apegaremos ao corpo ensanguentado de nosso Salvador.

A fé reformada ensina que a salvação é uma obra de Deus desde o princípio até sua definitiva e perfeita conclusão, na ressurreição do corpo e na vida eterna no céu.

A fé reformada ensina que a fé - pela qual nós nos unimos a Cristo - não vem de nós mesmos, ela é um presente de Deus (v. Ef 2v8). Deus não apenas nos dá o capacidade para crer, mas também opera em nós o próprio ato de crer. A fé reformada ensina que, por este motivo, o evangelho não é um convite, não é uma proposta, não é uma expressão do amor universal de Deus, não é uma oferta de um Salvador suplicante. Ao invés disso, ela é - assim como Paulo disse em Romanos 1 verso 16 - "O poder de Deus para a salvação".

A fé reformada não crê que Deus ama todos os homens, nem que todos os homens são objetos do Seu favor e de Sua graça. Bem pelo contrário, Deus se ira com o ímpio todos os dias, assim como o salmista diversas vezes expressa (v. Sl 7v11 etc.) A fé reformada crê, assim como o sábio expressa em Provérbios 3 verso 33, que "a maldição do Senhor está sobre a casa dos ímpios, mas ele abençoa o lar dos justos". A fé reformada acredita que não há nada além de ódio, nada além de maldição para os ímpios. E Deus os coloca - assim como Asafe canta em Salmos 73 verso 18 - em lugares escorregadios de destruição.

A fé reformada ensina - e Calvino ensinava - que todas as coisas são para a salvação dos eleitos por quem Cristo morreu (v. Rm 8v28). A fé reformada ensina estas doutrinas pois elas sustentam que Deus é Deus! Que Ele faz toda a Sua boa vontade. Que Ele é o único soberano e o Santo de Israel a Quem pertence todo o louvor, a glória e o poder para sempre. Esta é a fé reformada. E somente ela é a fé reformada.

Aquele que nega estas verdades não é reformado. Aquele que defende alguma outra ideia, não pode reivindicar a si mesmo o nome "reformado". Desde os dias do reformador de Genebra, nunca foi reformado ensinar nada além disto, não é agora, e nunca será até que o Senhor volte.

Aqueles que afirmam ser reformados e ensinam o contrário, ou fazem isto por ignorância ou estão marchando sob uma bandeira falsa. Eles hasteiam a bandeira do exército de Sua Majestade em embarcações piratas. Eles fazem isto para que com engano possam espreitar aqui e ali e enganar a outros, levando-os à destruição. Estes são inimigos da fé reformada. Vamos ter certeza que nós entendemos isto.

O Senhor foi muito claro quando disse aos Seus discípulos, há somente duas posições que vocês podem ocupar: Ou você é por Mim ou você está contra Mim (v. Mt 12v30) ou um ou outro. Não há terreno neutro. Não existe uma área "cinza" onde o homem pode ficar enquanto ele se decide. Ou você é pela fé reformada, ou você é contra ela. Ou você acredita nela e a ama com cada fibra de seu corpo, ou você se opõe a ela. A fé reformada requer por si mesma este tipo de exclusividade, pois ela afirma a exclusividade da Escritura e de um Deus soberano, que revelou a Si mesmo nas páginas da Sagrada Escritura.

Em segundo lugar, a fé reformada é uma visão "do mundo e da vida": É a maneira como se olha para o mundo.

A fé reformada ensina que um filho de Deus, um filho eleito que crê em Deus - que está no meio do mundo - deve usar as palavras de Jesus em João 17 verso 14 - "Embora no mundo, não são do mundo". Vamos deixar isto bem claro, que a doutrina e a vida andam juntas.

Que tragédia é que no nosso século doutrinariamente analfabeto, em nossos tempos de negligência e indiferença doutrinária, as pessoas "piedosamente" tagarelam sobre o fato que a doutrina é insignificante. "Isto faz diferença apenas quanto à como se vive" - eles dizem. Por acaso, toda a fé reformada e toda a religião cristã é reduzida a um jogo moral? Esta é a posição que nós devemos tomar? Deus nos livre! Moralidade sem doutrina é igual a nada. O mundo - o mundo dos incrédulos, o mundo dos pagãos - tem produzido alguns dos homens mais morais de todos os tempos. A filosofia grega produziu homens de grande estatura moral. Isto é cristianismo? Isto é a fé reformada? Não. Doutrina e vida andam juntas. O que um homem acredita, determina sua vida, e se sua vida não está enraizada em sua fé, esta fé não significa absolutamente nada. De fato, o que um homem crê a respeito da verdade da Escritura é por si mesmo um estilo de vida. Isto é o que se entende por "antítese".

É necessário enfatizar que se - como é tão defendido em nossos dias - Deus ama todos os homens, que todos os homens são alvos de Sua graça, que todos são alvos de Sua benevolência, bondade e graciosidade; se todos os homens são alvos de Sua "graça comum", e se todos são alvos de Seu amor revelado na cruz - onde Cristo morreu por todos os homens cabeça por cabeça - então não há lugar para nenhuma "antítese" entre o mundo e a igreja.

Se Deus ama todos os homens, se Deus é gracioso para com todos os homens, se Deus é amável para com todos os homens, isto resulta em um certo tipo de bondade que você encontra no mundo em geral. Embora haja monstros de iniquidade, Stalins e Hitlers na história, de modo geral os homens têm muita bondade em si mesmos. Eles são homens da filantropia. Eles são homens capazes de produzir obras formidáveis no campo das artes: Pinturas encantadoras e composições musicais de glória insuperável. Eles são capazes de dar seus milhões aos trabalhos filantrópicos, tais como construir hospitais. Eles são capazes de lutar por boas metas neste mundo de pecado, metas tais como por exemplo, um mundo no qual a paz reine e as guerras sejam abandonadas. E até mesmo você encontrará no mundo, alguns homens bondosos que se opõem ao aborto, a homosexualidade e as corrupções da depravação sexual e perversidades. No entanto, se você atribuir todas estas coisas a obra da graça, bondade e benevolência de Deus através da operação universal de Seu Espírito e Sua bondade para com todos, então você verá que por este tipo de "graça comum", você destruirá o profundo abismo que Deus estabeleceu entre a igreja e o mundo. A graça comum constrói uma ponte sobre o abismo. A graça comum permite que o mundo inunde a igreja e a igreja se lance avidamente no mundo. Ela encoraja que a igreja se una com o mundo em todos os tipos de causas comuns. Quer seja no campo científico, no campo da filantropia, no campo da moralidade, no campo da política - no interesse de colocar certos homens nos cargos - no campo da economia ou qualquer outro, existe então uma abundância de espaço para cooperação e acordos. Há muitas ocasiões para o ímpio e o justo trabalharem juntos, lado a lado.

A fé reformada pronuncia com toda a sua força um anátema, um anátema feroz a todo tipo de pensamento como este.

"Não se ponham em jugo desigual com descrentes. Pois o que têm em comum a justiça e a maldade? Ou que comunhão pode ter a luz com as trevas? Que harmonia entre Cristo e Belial? Que há de comum entre o crente e o descrente? Que acordo há entre o templo de Deus e os ídolos? Pois somos santuário do Deus vivo. Como disse Deus: 'Habitarei com eles e entre eles andarei; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo'. Portanto, 'saiam do meio deles e separem-se', diz o Senhor"- 2 Co 6v14-17.

Essa é a fé reformada: A faca cortante da antítese atravessa cada parte da vida do filho de Deus no mundo.

Sim, nós estamos no mundo e o ímpio está no mundo. O ímpio trabalha próximo a nós nas fábricas e mora ao nosso lado, na mesma rua. Nós vamos ao mesmo supermercado, comemos a mesma comida e partilhamos da criação de Deus de forma igual e comum. Não existe nenhum questionamento sequer a respeito disso. Mas em cada parte de sua vida, sem exerção, o incrédulo vive partindo do princípio do ódio a Deus, o cristão vive partindo do princípio da vida de Cristo em seu coração. Paulo ainda fala sobre o fato que nosso choro é fundamentalmente diferente do choro do ímpio: "A tristeza segundo Deus não produz remorso, mas sim um arrependimento que leva à salvação, e a tristeza segundo o mundo produz morte" - 2 Co 7v10. Sua alegria é diferente da risada do mundo. Toda a sua vida é diferente, pois há vida em você, pelo poder do Espírito de Cristo, a vida do céu. Você é um cidadão do reino dos céus. Você está andando nesta vida como um peregrino e um estrangeiro na terra. Você é "indiferente" para as coisas deste mundo presente. Sua cidadania é a do alto. O alvo de sua jornada terrena é a casa de seu Pai. As coisas deste mundo somente chamam sua atenção na medida em que elas são necessárias para que você continue seu chamado como um peregrino e estrangeiro, em agradecimento ao Pai celestial. Você serve o Senhor Cristo por toda a sua vida e o reino d'Ele não é deste mundo. O reino Dele é do céu (v. Jo 18v36).

A fé reformada tem tido como lema - desde os dias de João Calvino - o seguinte: "A igreja reformada é uma igreja se reformando". O que isto significa? Significa, em poucas palavras, que nenhuma igreja jamais pode ficar estagnada. Uma igreja estagnada é como uma poça de água parada: Esta logo é coberta com limo verde e começa a feder. Uma igreja não pode ficar estagnada. Ou ela se move para frente ou ela resvala para trás, um ou outro. A grande tragédia de nossos dias é que a igreja, a igreja nominal - que chama a si mesma de "igreja"- tem ido para trás. E ela tem ido tão longe para atrás, que não somente tem perdido qualquer senso do que significa ser "reformado", mas também tem perdido a noção do que significa ser igreja! Embora ela esteja estabelecendo estruturas, tenha poderosos programas - os quais tem custado milhões de libras - embora ela tenha voz ativa sobre todo o tipo de empreendimento social e erga a voz em protesto nos conselhos dos homens e nações, ela deixou de ser "igreja".

____________________________________
FONTE: O que Significa Ser Reformado, por Herman Hanko
No site: Covenant Protestant Reformed Church (CPRC)